Assinatura RSS

O UNISIMERS como “obsolescência programada”, e porque você não o tem no seu iPad

Publicado em

Apesar de constar como o segundo serviço mais utilizado do SIMERS…

O projeto UNISIMERS, de educação continuada à distância, via internet, passou a ser prejudicado pela falta de inserção de novas aulas, e outras questões. Quando começou em 2008, teve em seus primeiros meses de implantação uma média de 300 visitantes diferentes por mês.

Em junho de 2009, antes de completar um ano, com quatro novas aulas por semana, pulamos para mais de 900 visitantes diferentes ao mês. Em processo crescente de interesse do público ainda em 2009, no mês de outubro, foram mais de 1.680 visitantes, somando cerca de 9 mil médicos com logins diferentes no ano de 2009.

Em 2010, as estatísticas revelam que o total de visitantes pulou para 11.889, uma expressiva maioria, considerando a base de filiados ao sindicato. Em meio ao sucesso, colaboradores médicos começaram progressivamente a se afastar do projeto…

A partir de 2011, o UNISIMERS começou a viver um período de intensas dificuldades, com poucas aulas sendo inseridas. Estranhas dificuldades, já que, sim, existiam desafios para o crescimento, mas absolutamente não havia para manutenção do que vinha sendo feito – e muito bem feito.  O reflexo negativo foi progressivo, chegando-se a apenas 3 mil visitantes diferentes em 2012, período em que recebemos menos de 20 novas aulas.

O último Diretor Médico na “coordenação” do projeto, responsável direto por todas as aulas envolvendo palestrantes internacionais já publicadas no portal, além de ter colaborado com o UNISIMERS desde a fase em que foi pensado, numa das últimas tentativas, propôs um plano de melhorias. Seu antecessor já havia deixado pronto o mais importante: projeto de aproximação com as Sociedades de Especialidades. O novo documento, de cerca de cinco páginas apenas, foi devolvido pelo presidente Argollo com a orientação de que fosse resumido para apresentação oral em até dez minutos, tempo suficiente para que fosse lido e relido. Certamente não foi nada pessoal. Apenas auge da fase em que tudo e todos não agradavam. O médico entregou os pontos…

Pouco antes disto, no início de 2011, estava pronta uma plataforma para utilização do UNISIMERS através de iPad’s. Se implementada naquele momento poderia representar um salto de qualidade e de audiência. No link a seguir você poderá ter uma ideia do que a proposta oferecia (http://unisimers.org.br/videos/index_ipad.php?palestra=142 – atenção: utilize no iPad somente). A publicação no UNISIMERS de todo conteúdo, a partir do início de 2011, poderia estar sendo feita tanto no formato tradicional quanto neste novo formato, facilitando a vida dos médicos pela maior mobilidade do tablet. Uma adequação do contrato, naquele momento, teria viabilizado isto tudo SEM CUSTOS ADICIONAIS.

Você foi privado disto, pois:

A reunião de apresentação da novidade foi um desastre. Ao evocar o documentário Obsolescência Programada (amplamente disponível na internet para quem não conhece), em meio a críticas à “máfia da TI”, Argollo ofendeu nossos colaboradores, sem nenhuma razão. Para quem não o assistiu, o filme aborda o papel que a indústria tem em fabricar coisas não duráveis, para que se quebrem e compremos outras.

Não muito tempo depois, estávamos lançando o SIMERS Mobile, muito ruim e tendo custado caro: http://www.simers.org.br/simers-mobile.html. Esta decisão nos obriga a refletir seriamente em relação aos critérios de escolha para prestadores de serviço, tomada frequentemente por gerente administrativo, e muitas vezes ignorando qualquer critério técnico apontado por quem deveria tomar decisões deste tipo, diretores médicos que utilizariam a ferramenta.

O UNISIMERS vinha sofrendo com falta de rumo da alta direção. Em alguns momentos parecia até que estava sendo francamente obstaculizado.

Informações recentes de que está sendo usado agora para facilitar aproximação com as sociedades de especialidades, projeto que está pronto desde 2010, nos fazem questionar: vem cá, estamos para levar a sério educação médica ou tudo é motivo para politicagem? Coincidentemente, em ano eleitoral, surgiu o interesse pelas sociedades de especialidades…

Engavetar ou inviabilizar projetos de interesse dos médicos, esperando o momento eleitoral (ou pessoal) para tirá-los da gaveta, independentemente dos prejuízos gerados, não é correto. Está sendo assim com a aproximação com as sociedades de especialidades, e é assim com quase tudo na Corte Real.

Anúncios

»

  1. flavio jose mombru job

    Uma pena para todos os médicos do estado que procuram atualização médica este programa não ter sido desenvolvido, principalmente para os médicos do interior do estado do Rio Grande do Sul. Os maiores prejudicados foram os colegas do interior que estão ávidos por atualização médica de qualidade e que não puderam ter acesso a este tipo de informação.
    Por sinal uma questão para debate: Atualização médica interessa para médicos que praticam medicina no dia a dia , 24 horas por dia.
    Politica interessa a politicos que a praticam 24 horas por dia.
    Sindicato médico interessa fazer politica médica ou interessa fazer educação médica ou as duas coisas juntas ?????

    Resposta
  2. Guilherme Brauner Barcellos

    O texto é bastante representativo de meus depoimentos ao grupo Renovação Médica. Faço dois reparos:
    – Entreguei os pontos antes. Foi na reunião acima descrita, onde presenciei agressão gratuita a colaboradores que, além de excelentes profissionais, são pessoas. E pessoas, até mesmo as incompetentes, não merecem, sob hipótese nenhuma, aquele tipo de tratamento. Por isso, e por todo o clima organizacional de ameaças e agressões a colaboradores, que, pressionados, passaram a denunciar um sindicato que eu próprio, de dentro, não conhecia, que optei pelo meu distanciamento. O plano de melhorias foi uma tentativa de preservar o Unisimers, mesmo que não fosse ficar mais trabalhando nele.
    – O Simers Mobile já incorpora o Unisimers para iPad’s. Não dá é para valorizar, por ser muito, mas muito, ruim. Apenas reforça a filosofia de “obsolescência programada”. É interessante avaliar os links…

    É surreal ver hoje uma repaginação do UNISIMERS. Sem entrar no mérito se ficou melhor ou pior – pessoalmente gostei da mudança, chega a ser triste ver um projeto, que era para ser técnico, acadêmico, ser utilizado como mais uma ferramenta de política ou marketing. Pensei que ia encontrar alguma aula nova, e encontro o “NOVO UNISIMERS”: http://www.unisimers.com.br

    Resposta
  3. Guilherme Brauner Barcellos

    Em tempo: havia feito uma brincadeira com o “NOVO”, e não é que consta na aba do navegador…

    Resposta
  4. Renovação Médica

    Sociedade de Pediatria e Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Sul buscam aproximação:

    A Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul está atuando de forma conjunta com o Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Sul (Simers) para parceria em capacitação. As palestras, de acordo com a proposta realizada pelo presidente do Sindicato, Paulo de Argollo Mendes, seriam disponibilizadas a outros interessados por meio do portal de educação continuada Unisimers, cujo endereço é http://www.unisimers.com.br.

    Outras ações são estudadas em busca da aproximação das entidades. A Sociedade de Pediatria manifesta interesse na luta conjunta pela melhoria na remuneração da saúde suplementar, bem como pelo pagamento de procedimentos como o teste do olhinho, que pode detectar e prevenir doenças oculares ainda nas primeiras semanas de vida. Fonte: PlayPress Assessoria de Imprensa

    Argollo acaba de marcar com a SOTIRGS – Sociedade de Terapia Intensiva do Rio Grande do Sul, devendo se encontrar na próxima semana. Projeto que envolve parceria do Unisimers com as Sociedades de Especialidades está pronto desde 2010, inclusive com material gráfico muito bacana.

    Resposta
    • Renovação Médica

      Conforme anunciado aqui, houve o encontro da SOTIRGS com Argollo. Fecharam parceria para proporcionar aos sócios da sociedade de intensivistas a possibilidade de acessar as palestras do UNISIMERS. Como diretores da SOTIRGS foram apresentados previamente a reunião com Argollo ao projeto de aproximação com as sociedades de especialidades que ESTAVA PRONTO DESDE 2010, esperamos que tudo isto tenha servido para fazer mais médicos refletirem, desta vez importantes formadores de opinião. http://www.simers.org.br/sociedades-de-especialidades-visitam-o-simers-noticias-3569.html

      Chama também a atenção que para buscar esta aproximação em momento tão estratégico (período eleitoral), Argollo parece ter deixado para trás fortes convicções pessoais. Tendo a SOTIRGS também sócios não médicos, Argollo estaria abrindo o Unisimers para outras profissões da saúde – até então um dos critérios para definição entre conteúdo restrito e aberto era a manutenção dos temas que tratavam especificamente de diagnóstico e tratamento exclusivos para médicos (em respeito também a resoluções do CFM). Vários temas de caráter multiprofissional já estavam aberto ao grande público.

      O projeto de aproximação com as sociedades de especialidades que estava pronto desde 2010 era mais completo, e considerava elementos para uma parceria ganha-ganha entre as partes, onde o UNISIMERS aumentaria suas chances de incrementar o acervo de aulas. O que foi feito agora: Argollo chamou a sociedade de especialidade em período pré-eleitoral e deu o Unisimers de presente.

      Resposta
  5. Pingback: A verdade sobre os resultados da era Argollo « Renovação Médica

Queremos saber a sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s