Assinatura RSS

Arquivo do mês: setembro 2012

Erro Médico — É o horror, o horror!

Publicado em

Capa original da publicação sobre erro medico desenvolvida pelo SIMERS

Não, você nunca receberá a revista com a capa acima. Ela modificou-se. Da versão inicial até a que finalmente chegou a suas mãos, envolta num envelope pardo solicitando um ridículo sigilo (uma vez publicado, público é), sua capa e conteúdos foram atenuados e editados a exaustão — graças à intervenção de seu editor e da coordenadora de comunicação do SIMERS à época. A revista abaixo, esta sim, com certeza, deve lhe trazer alguma lembrança. Para muitos, não muito agradável.

Capa da publicação Erro Médico em sua versão final

 A estratégia do medo

A proposta original do presidente do Sindicato era criar um sentimento de medo e horror entre os médicos. Por intermédio da publicação, instituir um clima de paranoia a fim de fazer valer o serviço Pronto SIMERS, e a cobertura oferecida pela Assessoria Jurídica da entidade. Trazer dados (devidamente editados) sobre o crescente número de processos judiciais por alegado erro médico sempre funcionou para Argollo como uma estratégia para fidelizar associados, ou até mesmo reverter picos de desassociações. As publicações do SIMERS têm diversos exemplos para ilustrar isso.

Bolinhas não!

Anotações do presidente em anúncio previsto para a revista

Contrariados com o rumo da publicação, que não seria bem recebida pelos médicos, tanto o editor quanto a coordenadora de comunicação buscaram mudar a sua linha editorial. Argollo, no entanto, não cedeu. Em determinado momento, insatisfeito com o que considerava um conteúdo “light”, fez questão de ressaltar: queria uma revista sensacionalista, algo que intimidasse os médicos (acima, veja anotação feita por ele em um anúncio previsto para a primeira versão). O sujeito implicou com “as bolinhas” do leiaute de um anúncio, que acabou por não sair. Solicitou, então, uma nova capa, mais agressiva. Fez questão de deixar bem claro à coordenadora de comunicação (e levou isso ao extremo): queria a foto de um médico sendo preso e conduzido pelo cangote. Uma imagem que causasse comoção (veja abaixo). Trazemos também algumas páginas originais da 1ª versão.

Após ampliar a imagem, clique na seta de retorno à esquerda

Após ampliar a imagem, clique na seta de retorno à esquerda

Após ampliar a imagem, clique na seta de retorno à esquerda

Após ampliar a imagem, clique na seta de retorno à esquerda

Após ampliar a imagem, clique na seta de retorno à esquerda

Pegando mais leve

Próxima de seu fechamento, mais precisamente durante o feriado de Páscoa de 2011, a revista foi totalmente modificada, assumindo o conteúdo e a forma que ganhou as rotativas. Mais leve, menos sensacionalista, mas de qualquer forma inapropriada. Mesmo sem identificar nome e cidade, um caso citado na publicação criou transtornos ao colega envolvido. Ele igual se sentiu exposto e argumentou que sua imagem profissional corria sério risco de abalo.

Novas mudanças na capa, mas não seriam as últimas

E assim se azeita a máquina de manipulação de nosso presidente. Factoides, marketing pesado, política do medo, prestações de contas que não prestam contas, alterações no estatuto para dificultar o surgimento de oposição, etc. Quem diria que veríamos isso: a categoria médica refém do presidente de seu próprio sindicato.

Nossas propostas

Externamente: focar mais na discussão da prevenção e em ferramentas de minimização de danos (da prevenção ao tratamento). Estabelecer relacionamento com Judiciário e Promotoria, na busca pelo fortalecimento de uma Cultura Justa na abordagem do problema, alertando-os de que a maioria dos erros são problemas sistêmicos e não de responsabilidade individual predominante. Com isto, protegendo médicos e, principalmente, pacientes — cada vez mais prejudicados pela cortina de fumaça em torno do tema e da crescente judicialização improdutiva do setor Saúde.

Internamente: fortalecer o Departamento Jurídico, que sofreu recente sangria. Menos sensacionalismo. Mais capacidade de resolver problemas reais, quando não houver como evitá-los.

Tentativa de golpe nas eleições do SIMERS

Publicado em

Argollo e a Comissão Eleitoral por ele escolhida a dedo, em ato desesperado e com o objetivo de escapar ao confronto democrático e legítimo, forjou vergonhosamente a impugnação da chapa opositora para tentar ganhar o processo eleitoral mediante golpe.

A assessoria jurídica da Chapa Renovação Médica reverterá esta escandalosa medida adotada pelo atual presidente e seus seguidores a fim de perpetuarem-se no poder.  Nossos advogados já estão tomando as medidas administrativas e judiciais cabíveis.

Colega médico, repasse essa mensagem para o seu círculo profissional e aguarde para breve novas informações sobre os desdobramentos deste caso.

Simersgate III — O céu não está para brigadeiro

Publicado em

Já apresentamos a nota-fiscal fatura (uma delas, temos quatro que somam R$ 88.000,00) de algumas das viagens ao interior do Estado, realizadas pelo presidente do SIMERS em aeronaves fretadas (clique aqui para ler a respeito). Elas têm início no segundo semestre de 2011, e se intensificam neste ano de eleições na entidade. Mas nos surgiu um outro questionamento: porque o valor-hora das aeronaves da Uniair é mais elevado para o Sindicato? Compare os documentos abaixo, compare o valor hora. Gratuidade? Provamos ser mentira! Parceria? Que custa mais caro do que para quem adquire sem parceria?

SIMERSGATE II — Prestação de Contas para “inglês ver”

Publicado em

A alta direção do SIMERS gosta de divulgar em suas revistas a aprovação unânime de suas prestações de contas. Não foi diferente na edição N.º 57 da Vox Medica, de abril de 2012, cuja chamada de capa é “SIMERS: Inovação e Transparência – Jornalista Ricardo Boechat comandou evento de prestação de contas”.

A matéria da página 8 é modestamente intitulada de “Unanimidade: contas aprovadas – SIMERS apresenta relatório de gestão 2011 e tem gestão financeira aprovada em assembleia pública”. O que talvez ninguém tenha percebido é que na foto onde todos aprovam sorridentes as contas de sua entidade só há membros da diretoria (os “médicos presentes” do rodapé). Ou seja, a unanimidade da matéria se refere à própria administração da entidade, num ato de pura autopreservação. E esta é a forma de prestar contas que vem se repetindo nos últimos 13 anos.

O que talvez ninguém tenha percebido, também, é que tal “ato de prestação de contas” ocorreu sem publicação prévia dos balanços (nem mesmo no site da entidade). Revestido de ares de espetáculo, com holofotes e apresentador famoso contratado, o ato não passou de mais uma ação de marketing.

Aprovando sem saber

Mas, ainda pior do que tudo isso, perguntamo-nos se os médicos presentes sabiam o que estavam aprovando ao levantar seus braços em apoio ao que estava sendo apresentado? Cremos que não. E, como exemplo, apresentamos para comparação os seguintes documentos:

Demonstrativo interno da agência de publicidade Martins & Andrade com a listagem dos apedidos/editais publicados durante o ano de 2010 (para ler o relatório na íntegra, clique aqui). Veja que o valor total informado é de R$ 829.192,92 (R$ 803.326,92 + R$ 25.866,00 — jornais do interior).

Tela da Prestação de Contas de 2010 (para ter acesso a Prestação de Contas 2010, clique aqui), realizada em “ato” como o que apontamos acima. Perceba que o valor total em apedidos/editais informado aos associados presentes é de R$ 2.123.700,08.

Divergência numérica

A diferença entre o relatório interno e o que foi aprovado por unanimidade na Prestação de Contas daquele ano é de meros R$ 1.294.507,16. Ou uma vez e meia mais do que consta no relatório interno. O que aconteceu aqui? Cremos que somente a alta cúpula do SIMERS possa explicar, pois nem jornalistas famosos nem diretores têm acesso às contas do sindicato. E na Prestação de Contas apresentada este ano, que verdade haverá escondida?

Nossas Propostas

  • Publicação de prestações de contas detalhadas (incluindo gastos com diárias, jetons e viagens) e atualizadas em tempo real, com balanços trimestrais.
  • Contratação de auditoria externa de todos os procedimentos contábeis e fiscais do Sindicato, com relatório anual publicado 30 dias antes da assembleia geral de prestação de contas.
  • Realização de verdadeiras Assembleias Gerais de prestação de contas, com apresentação de balanços e relatórios.
  • Fim da contratação milionária de apresentadores de rádio e televisão para apresentarem as prestações de contas, que objetivam apenas constranger eventuais críticas.

Nominata — Renovação Médica

Publicado em

Temos a satisfação e o orgulho de apresentar a nominata da chapa Renovação Médica, inscrita às eleições sindicais para a Diretoria, Conselho Fiscal e Conselho Consultivo do SIMERS — Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, gestão 2013-2015. Para ter acesso a lista contendo o CRM e a cidade de cada representante, clique aqui.

DIRETORIA-GERAL
Nome
  Luiz Alberto Grossi
 Sami A. R. J. El Jundi
 Marcos Rovinski
 Antonio Carlos Luzzi Fortis
 Carlos Vieira de Castro
 Cláudio Vinícius Bublitz
 Eduardo Gehling Bertoldi
 Fabiano Marcio Nagel
 Fábio Fernandes Dantas Filho
 Geraldo Ayala Pereira
 Jairo Nathan Trombka
 José Pio Rodrigues Furtado
 Julio Henrique G. Ferreira
 Luiz Ari Zanette Anicet
 Luiz Felipe L. Araújo
 Nara Horta Barbosa
 Natan Katz
 Moisés Eli Magrisso
 Ricardo C. Casagrande Pacheco
 Robert Schmulerg
 Rochele de Amorim Gonçalves
 Rosa Maria de M. P. R. Machado
 Sérgio Roberto Lomando
CONSELHO FISCAL
 Betuza Kramer de Oliveira
 Deise Uebel
 Irio Ferreira Bicca
 José Carlos Corá
 Marcelo Denes Lucho
CONSELHO CONSULTIVO
 Adalberto Câmara Botelho
 Airton Galarça da Silva
 Alan Castoldi Medeiros
 Alfeu René Wedi Couto
 Amadeu Lourival B. Silveira Lima
 André Luiz Horta Barbosa
 Carlos Augusto Adamy
 Carlos Dionisio M. da Silva
 Carlos Roberto Felix
 Cezar Luiz Assoni
 Cezar Luiz Guindani
 Clarissa Oliveira de Oliveira
 Clewer Jacoby Schuler
 Clovis Roberto Nedel
 Eduardo Correa Costa
 Eduardo Dipp de Barros
 Elizabeth Heydrich Dornelles
 Elizeu Batista Garcia
 Érico Adalberto Linden
 Fernando Cafrune
 Florentino Vianna Dutra
 Guilherme Brauner Barcellos
 Guilherme L. de Oliveira Bicca
 Hamilton Piazer Jardim
 Helena Ritter de Abreu
 Igor Gorski Benedetto
 João Carlos da Silveira
 José Nowicki Mustafa
 José Cesar Boeira
 Juliano Gueno Petter
 Lauro Erny Borth
 Leonardo Viott
 Luiz Fernando C. Carvalho
 Mario Mansur Filho
 Nelson Lindner Dutra
 Nilo Antonio Santos de Souza
 Nilton Weide
 Orfelino Guimarães da Silveira
 Paulo da Cruz Barragan
 Paulo Roberto da Luz Dias
 Percy Roberto Schreck
 Renan Roque Onzi
 Roberto Azevedo
 Rogério Gottert Cardoso
 Rogério Miguel D. G. Zingano
 Romulo Ângelo de S. Panatieri
 Ricardo Pittas da Silva
 Rubilar Martins de Souza
 Thiago Lisboa

Carta aberta aos médicos | Reuniões nos dias 17 e 18/9

Publicado em

Caro colega,

Já podemos comemorar nossa primeira vitória!

Na última quarta-feira, 13 de setembro, aos 90 minutos do tempo regulamentar, apesar de todas as dificuldades criadas pelos detentores do poder na vã tentativa de evitar o legítimo processo eleitoral e democrático, finalmente conseguimos inscrever a chapa Renovação Médica para o pleito que definirá a próxima diretoria do NOSSO SINDICATO, o SIMERS.

“Eles”, a situação, não acreditavam que conseguiríamos. Somos 79 colegas distribuídos por todo Estado com a convicção de que chegou finalmente a hora e a possibilidade de mudar! Estamos muito motivados. Nossas reuniões têm a presença de mais colegas a cada semana e a simpatia pelo nosso projeto para a entidade só aumenta. O blog Renovação Médica  já superou os 11 mil acessos e cada vez mais associados nos apoiam nas redes sociais.

A Campanha está nas ruas, na internet, nos corredores e nos consultórios. Tua participação, mais do que bem-vinda, é fundamental neste momento. Conheça nossas propostas e as contradições que combatemos. Seja nosso amigo no Facebook e siga-nos no Twitter. Vamos juntos resgatar o NOSSO SINDICATO daqueles que se julgam seus donos para devolvê-lo aos médicos.

Temos a convicção de que muitos colegas apoiam nossas ideias, por isso precisamos divulgá-las, compartilhá-las e multiplicá-las para transformar essa vontade em votos!

Agora é chegado o momento de INICIAR A CAMPANHA RUMO À VITÓRIA. Para traçar as ESTRATÉGIAS faremos duas reuniões na próxima semana. Para tal, ampliamos a sua possibilidade de participar das discussões e deliberações da chapa. Ajude a escrever a história da entidade na condição de protagonista.

REUNIÃO – Compareça nos dias 17 e 18 de setembro, às 19 horas, na Rua Engenheiro Afonso Cavalcanti, 93 (Salão de Festas), bairro Bela Vista, em Porto Alegre (acesso pela Lucas de Oliveira / Cabral / Eng. Adolfo Stern).

Forte abraço,

Luiz Grossi – Renovação Médica

Simersgate: todos os voos do presidente

Publicado em

Fiquei magoado, não por me teres mentido,
mas por não poder voltar a acreditar-te”

(Friedrich Nietzsche)

O caso Watergate foi o escândalo político ocorrido na década de 1970 nos Estados Unidos da América que, ao vir à tona, acabou por culminar com a renúncia do presidente americano Richard Nixon, eleito pelo partido republicano. Em 9 de agosto de 1974, Nixon renunciou à presidência dos EUA, não por ter ordenado a espionagem ilegal da oposição, mas por ter mentido ao povo americano, ao negar conhecimento dos fatos.

Em 17 de agosto de 1998, Bill Clinton admitiu ter mantido relações sexuais com a estagiária Monica Lewinsky dentro da Casa Branca. Com isso, evitava incorrer no mesmo erro de Nixon: mentir aos seus eleitores. Para Platão “a mentira autêntica é detestada não só pelos deuses, mas também pelos homens“, e os norte-americanos parecem levar isso muito a sério.

Quando o Movimento Renovação Médica denunciou o uso de aeronaves inteiramente fretadas pelo presidente do SIMERS para fazer campanha antecipada no interior, à custa dos associados (clique aqui para ler), rapidamente surgiu o serviço “Força Aérea SIMERS”. Milhares de folhetos publicitários em papel reciclável foram enviados aos associados, divulgando as supostas vantagens de tal serviço. O presidente calou sobre os custos disso.

Ao demonstrarmos a inutilidade e a megalomania por trás dessa apressada e insuficiente tentativa de justificar o injustificável e cobrarmos maiores informações sobre o suposto convênio com a Uniair (clique aqui para ler), o SIMERS retirou do site a propaganda. Novamente, nada informou sobre os custos.

Mas finalmente, na última edição da revista Vox Medica (n.º 59, págs. 12 e 13), o presidente do SIMERS insiste no “Força Aérea” e informa aos associados que o serviço de transporte aéreo é… GRATUITO!?

Mas então

Por que razão estamos pagando R$ 5.500,00 por hora de voo à Uniair, conforme a cópia da nota fiscal em anexo, uma entre algumas notas existentes? Já diz o bordão que “não há almoço grátis”; viagem de avião também não. (Clique na imagem para ampliar e depois utilize a lupa com o botão direito do mouse)

Se fosse nos EUA, tal mentira seria suficiente para que o presidente renunciasse ao cargo. E aqui?

Ao que parece, nosso presidente não leva muito ao pé da letra o slogan “A verdade faz bem à saúde”.