Assinatura RSS

Arquivo da tag: Argollo debocha dos associados

Dê um fim ao desrespeito de Argollo

Publicado em

Qual o limite do desrespeito de Argollo para com a categoria médica? As tentativas de impedir a eleição (leia aqui)? A posse mediante ata ilegal (leia aqui)? A ação para suspender a decisão judicial que determinou a realização do pleito (leia aqui)? Todas são medidas recentes, mas essa mentalidade antidemocrática e forma de agir prepotente não são de agora. Vem de longa data. Mas não vamos longe. Em passado recente, em março de 2012, Argollo convocou Assembleia de Prestação de Contas (dentro do modelo show de costume, com a pouca transparência de sempre — leia aqui) e apresentação de planos de trabalho para o período de 2012 a 2016 (veja edital abaixo).

Edital-PC-2012-Carimbo

Seu mandato, porém, se encerrou em dezembro de 2012. Hoje ele atua em mandato tampão até o resultado da eleição (dia 19 ou 20 de março). Como pôde, então, projetar metas prioritárias para uma gestão que nem sabia se estaria à frente?  Somente a categoria médica, mediante o voto, pode decidir quem comandará sua entidade. Mas Argollo, já no início do ano passado, desconsiderava tudo e todos e dava como favas contadas que novamente não haveria eleição e ele, ao seu estilo, permaneceria presidindo o Simers — que toma como se fosse o quintal de sua residência, no qual faz o que bem entende. Uma completa falta de respeito com os médicos gaúchos.

A Chapa 2 — Renovação Médica sempre teve como seus principais objetivos apresentar a proposta de fazer um Sindicato digno, ético e transparente; revelar um Simers conhecido por poucos (diferente daquele empurrado boca abaixo por quilos de revistas, folders, apedidos, correspondências, etc.), e lutar para que o associado pudesse escolher seus dirigentes, democraticamente — e isso significa dar voz aos médicos para refendar até mesmo quem está no poder. O direito ao voto, para nós, é muito valioso. Seguiremos até o último dia de campanha com essa missão, devolver a Democracia ao Simers.

A eleição está em curso, graças a luta da Chapa 2 — Renovação Médica,  e se encerra somente no dia 14 de março (último dia para a postagem do voto por correspondência e  data para a votação presencial).  Dê um basta na arrogância pretensiosa. Dê um fim ao continuísmo de poucos resultados. Vote Chapa 2 — Renovação Médica.

Anúncios

Argollo quer “fazer” em 30 dias o que não fez em 15 anos

Publicado em

Desde que a Justiça reverteu as decisões arbitrárias e parciais da Comissão Eleitoral, e obrigou o Simers a realizar eleições para a escolha de seus dirigentes, Argollo, agora em seu mandato tampão à frente do Sindicato, acentuou uma de suas principais características: a produção de factoides. É claro, todos voltados à “resolução” dos problemas que afligem a categoria por longo tempo. Como que por mágica, alguns deles vêm encontrando “soluções” em reuniões com secretários de saúde, diretores de hospitais, políticos e outras autoridades. Tudo registrado por câmeras e microfones, devidamente publicado no site da entidade e divulgado de diferentes formas aos médicos. As “soluções”, no entanto, não são imediatas. Elas começam a ser empreendidas lentamente, estudadas e, talvez, quem sabe, a partir de março, provavelmente depois do dia 15 (em 14/3 encerra-se o período eleitoral no Sindicato).

Vemos esse filme a cada eleição partidária, especialmente produzido e exibido por quem está no poder há muito tempo. São as velhas promessas políticas. As propostas de Argollo na única eleição realizada em sua era de poder exacerbado, você lembra quais foram? Sabe se elas foram minimamente cumpridas? Então leia abaixo o folheto da campanha da Chapa 1 — Simers Independente, de 2006.

Volante-ChapaIndep-3

Vamos ajudá-lo na análise

Remuneração/Plano de Carreira: Quanto a sua remuneração, ela melhorou de 2007 até os dias atuais? Desconsiderando apenas reposições inflacionárias, qual foi o ganho real, ou melhor, a recuperação do poder de compra de seu salário/remuneração? Sobre Plano de Carreira: entregar propostas a prefeitos ainda é muito pouco. Mas antes de concluir sua opinião leia aqui.

Plantão 24 Horas (Diretor, advogado e jornalista): Já existe desde o primeiro mandato de Argollo em 1998, sendo que até pouco tempo o “plantão” de diretoria era exercido por um funcionário do Simers, que filtrava as ligações recebidas pelo 0800. Algumas delas realizadas por colegas em estado de aflição, querendo uma resposta imediata do diretor de seu Sindicato, mas que encontravam apenas uma etapa burocrática até alcançar seu intento. Os plantões realizado por jornalistas, não remunerados para essa função, estão sendo alvo de investigação do Ministério Público do Trabalho (leia aqui), e que provavelmente irá gerar um passivo trabalhista considerável ao Sindicato.

Cartão-ponto: Nada de positivo aos médicos, que continuam cumprindo suas jornadas (não por metas) e “batendo cartão-ponto” agora por registro biométrico.

Precarização do trabalho: Algumas das “cooperativas” existentes foram substituídas por empresas. Surgiram as fundações e institutos, e a relação de trabalho direta empregador/médico está cada vez mais difícil de ser obtida.

CBHPM: Nenhum convênio adotou a tabela pela banda plena, nem mesmo a maior cooperativa médica.

Erro Médico: O projeto em questão não avançou, apesar das insistentes matérias produzidas pela revista Vox Medica dizendo o contrário. Sobre erro médico Argollo pensa que o melhor para a categoria é o sentimento de medo recorrente, isso fideliza o associado à entidade e à possível necessidade de usar seus serviços jurídicos (leia aqui).

Não se deixe enganar. Aliás, não se deixe usar por quem te engana.

Diga não à politicagem, vote Chapa 2 — Renovação Médica.

A verdade sobre os resultados da era Argollo — IV

Publicado em

Resultados da era Argollo, publicados em seu site de campanha: “Já impedimos na Justiça que enfermeiras façam diagnóstico e solicitem exames.”

Fórmula Argollo: Esconda o que não lhe interessa politicamente

Novamente aqui Argollo conta somente a parte da história que lhe interessa e sugere que já fez o necessário e o suficiente pelo Ato Médico.

Em primeiro lugar, apesar da importância da ação judicial a que se refere, a vitória é parcial. Não fosse assim, tantos não demandariam grande esforço para aprovar o PL do Ato Médico, e não seriam necessários outros ajuizamentos deste tipo movidos pelo próprio Sindicato (no site www.jfrs.jus.br, ícone “Consulta Processual Unificada”, basta digitar o n.º 200971000243263 para conhecer melhor).

Pelo site da Justiça federal, observa-se que a medida liminar que tinha por objetivo impedir alguns procedimentos dos profissionais de enfermagem no âmbito do Grupo Hospitalar Conceição, o maior complexo hospitalar público de Porto Alegre (percebam que, embora anuncie vitória a nível nacional, o problema persiste, e no quintal da gente) foi indeferida — 26/02/2010 18h20 – Despacho/Decisão – Liminar/Antecipação de Tutela Indeferida. Dessa decisão o SIMERS interpôs Agravo de Instrumento, que foi convertido em retido e será julgado junto com uma eventual apelação em caso de sentença improcedente. Ou seja: infelizmente, vitória dos profissionais de enfermagem, ainda que possa ser modifica na sentença ou recursos.

A luta pelo Ato Médico é uma luta de todos os médicos. E segue viva.

“Vivemos num país maquiado, em que se as coisas ‘parecerem’ benfeitas, já está ótimo. Por fora, bela viola. O Brasil hoje é visto como um país moderno e estável. Mas como andará o esqueleto desse país que se declara tão sólido?”. Martha Medeiros

Leia A verdade sobre os resultados da era Argollo

Leia A verdade sobre os resultados da era Argollo — II

Leia A verdade sobre os resultados da era Argollo — III

Você sabia que a Comissão Eleitoral recebeu dinheiro do Simers?

Publicado em

Prezado médico, você sabia que a Comissão Eleitoral* composta por pessoas da confiança do presidente “vitalício” do Simers, que deu suporte às tentativas de golpe da Chapa 1,  que impugnou a Chapa 2 ilegalmente por encomenda, pasme, foi remunerada com R$ 17.500 provenientes do caixa do próprio Sindicato ou seja, dinheiro dos sócios?

Se os membros da Comissão Eleitoral fossem escolhidos em comum acordo entre os concorrentes (modelo adotado por entidades com espírito democrático) e com total transparência, a remuneração seria aceitável. Porém o formato e  os critérios adotados no SIMERS da era Argollo são imorais e antiéticos.

Ajude o coronelismo e o caciquismo a ficarem no passado. Não se deixe enganar. Aliás, não se deixe usar por quem te engana.

* A Comissão Eleitoral é composta por Luiz Carlos Ilafont Coronel (presidente), Odilon Teixeira Filho e Vera Canabarro.

Diga não à politicagem, vote Chapa 2 — Renovação Médica.

Leia Tentativa de golpe nas eleições do Simers

Leia Simers — Jogo das Eleições

Leia Argollo, o que é isso companheiro?

Argollo tenta suspender eleições pela terceira vez

Publicado em

Mas e não é que Argollo tenta impedir mais uma vez as eleições?  Ao que parece, deseja fazê-lo a todo custo, pois ajuizou uma Medida cautelar com pedido liminar que visa suspender a decisão anterior que mandou ocorrer as eleições.

A Justiça, porém, novamente foi favorável aos argumentos da Chapa 2 — Renovação Médica e indeferiu a medida, pois o relator do processo entendeu que o prejuízo aos médicos associados ao Simers seria enorme, uma vez que não poderiam exercer seu direito de voto.

É isso mesmo, enquanto a Chapa 1 pede votos aos médicos e posa de democrata e independente, quando ninguém vê, longe das câmeras e por debaixo dos panos, paradoxalmente busca impedir que os mesmos médicos possam votar, ou seja, exercer o legítimo poder de escolha.

O que a Chapa 2 — Renovação Médica fez para neutralizar mais esta tentativa de golpe, desta vez com a votação já em curso? Nossa assessoria jurídica contestou a medida cautelar no último dia  18 de fevereiro e em breve teremos julgamento do mérito.

O contraditório de tudo é que  em reuniões com cúpula do Simers, Argollo afirma aos seus  correligionários que está confiante e que pretende ganhar no voto, traindo a própria confiança dos seus aliados ao agir pelas costas da própria diretoria e de todos os médicos associados, tentando suspender a eleição. Por que Argollo teme tanto às urnas?

ATENÇÃO! Se você ainda não votou pelo correio, escolha quem defende eleições livres, honestas e democráticas, vote Chapa 2 — Renovação Médica.  Se você ainda não enviou seu voto pelo correio o faça o quanto antes, tomando o cuidado de votar corretamente e lacrar os envelopes. Mas cuidado, só existem duas maneiras de votar: pelo correio ou presencialmente no dia 14/3, na sede do Sindicato. Não entregue ou mande entregar o envelope com a cédula por correspondência no Simers, pois não há garantia de ser validado, nem da integridade do voto. A cédula deve ser enviada exclusivamente via correio (o voto só é válido com a chancela de uma agência postal). Se preferir vote presencialmente no dia 14/3.

Leia Tentativa de golpe nas eleições do SIMERS

Leia Golpe nas eleições do SIMERS — Parte 2

Diga não ao golpe. Vote Chapa 2 — Renovação Médica!

A verdade sobre os resultados da era Argollo — III

Publicado em

Resultados da era Argollo, publicados em seu site de campanha

Aprovação: Mais de 90% dos associados aprovam a gestão.

Fórmula Argollo : Abuse do marketing de resultado

Segundo a campanha da Chapa 1 — Simers Independente, realizada em 2006, o índice de aprovação, aferida por meio de pesquisa (patrocinada pelo próprio Simers), era de 93,1%. A eleição realizada naquele ano (a única da história da era Argollo) mostrou um resultado diferente. O mesmo índice deveria se repetir, ou algo muito próximo a ele — se realmente a pesquisa foi procedida com sérios e rígidos métodos científicos de amostragem. As urnas, porém, mostraram que a “aprovação” de Argollo se restringiu a apenas 64,8% (2.377 votos contra 1.272 da chapa opositora). Na atual campanha a mesma Chapa 1 afirma que tem 90% de aprovação. O temor de Argollo em realizar as eleições tem alguma coisa a ver com a realidade que as urnas podem mostrar após 15 anos de continuísmo e parcos ganhos reais para a categoria?

Material-Chapa1-2006-X

Leia A verdade sobre os resultados da era Argollo — I

Leia A verdade sobre os resultados da era Argollo — II

Resultados da era Argollo, publicados em seu site de campanha

Consolidação: Maior sindicato médico da América Latina. Credibilidade: Sindicato com maior credibilidade pública no Estado.

Fórmula Argollo: Deixe os escrúpulos de lado e não se envergonhe da megalomania criativa

Baseado em que dados Argollo cria estas pérolas megalômanas? Até pouco tempo afirmava ter o maior sistema de defesa médico do planeta (?). Sua “certeza” baseia-se na megalomania, no volume expressivo e desmedido que aplica em publicidade e marketing, e na crença de que a categoria médica aceita e acredita em “sua verdade que faz bem à saúde”. Mas até quando, e a que custo? Um simples exemplo de sua forma de pensar o Simers: A defesa intransigente (contrariando o desejo de diretores e a opinião de assessores) de que a revista do Sindicato deveria ter o maior número de páginas possíveis, mesmo que sem assunto para preenchê-las. A justificativa de Argollo: os médicos não leem, mas se impressionam com o volume da publicação. Para os associados, uma grande piada sem graça. O Simers hoje é um grande sindicato no cenário brasileiro, o maior em número de associados, um dos mais influentes politicamente, mas a grandiloquência que Argollo força imprimir em todas as suas ações não corresponde a realidade. E isso a categoria tem o direito de saber.

 Nossas propostas

– Redução de custos com marketing interno (revista em papel especial, folhetos de divulgação de coisas “novas”).

– Prioridade para os investimentos em serviços e na defesa política e jurídica dos médicos. Chega de gastar milhões em apedidos inúteis, enquanto se reduz custos no serviço mais importante para os médicos: sua defesa.

-Maior presença em negociações e menos gastos com apedidos e marketing inútil, a serviço apenas do culto à personalidade.

Diga não ao continuísmo. Vote Chapa 2!

Renovação Médica – Por representação digna, transparência e ética no Simers

A verdade sobre os resultados da era Argollo — II

Publicado em

Resultados da era Argollo, publicados em seu site de campanha

Bolsa residência: Reajuste de 22% na bolsa de residência

Fórmula Argollo: Aproprie-se de ideias e projetos bem-sucedidos

A vitória dos médicos residentes, obtendo o reajuste e outros benefícios, foi fruto maior do trabalho de diversas associações de médicos residentes Brasil afora, e, principalmente, da mobilização de milhares de residentes que entraram em greve no ano de 2010, durante 30 dias. Médicos de todas as cores e bandeiras. Natan Katz, por exemplo, integrante da Chapa 2 — Renovação Médica, foi uma das lideranças a atuar forte na história recente do movimento de médicos residentes (assista ao vídeo, acima). Assim como ele, os colegas Marcelo Denes Lucho e Fábio Dantas Filho, que participaram da comissão estadual de greve em 2010, estão na nominata da Chapa 2. O Simers, apesar de ter oferecido apoio, auxílio logístico e financeiro a alguns segmentos do amplo movimento, não pode ser considerado o único, nem o principal responsável por essa conquista. Apropriar-se de vitórias protagonizadas por outras entidades e pessoas é uma total falta de respeito ao Movimento Médico.

Obs.:  E fomos surpreendidos positivamente ontem pela manifestação pública do atual presidente da Associação dos Médicos Residentes do Rio Grande do Sul (AMERERS), Diego Menegotto (embora não tenha assinado como tal ou feito referência), a favor da Chapa 2 — Renovação Médica.

Nossas propostas

No relacionamento e áreas de atuação com outras entidades médicas:

– Reconhecimento dos diferentes âmbitos de atuação e apoio ao exercício das prerrogativas de cada entidade médica e seu papel na construção de uma categoria forte e respeitada pela população, sem tutelas ou ameaças.

– Criação de um Conselho de Especialidades Médicas, de caráter consultivo, reunindo as direções das associações de especialidades médicas com o objetivo de assessorar a direção do SIMERS na abordagem de temas sindicais de interesse das diferentes especialidades.

– Criação de incubadora e estrutura de suporte ao funcionamento de entidades como a AMERERS, sociedades médicas por local de trabalho, pequenas cooperativas de trabalho médico e empresas coletivas de médicos (aquelas com finalidade apenas fiscal).

Leia: A verdade sobre os resultados da era Argollo

Resultados da era Argollo, publicados em seu site de campanha

Atendimento: As gerentes de relacionamento realizam 15 mil atendimentos individualizados por ano. Serviços contábeis: Mais de 18 mil atendimentos por ano. Serviços jurídicos: 27 mil atendimentos por ano, sendo 3 mil processos ativos.

Fórmula Argollo: Abuse do marketing de resultado

Isoladamente os números funcionam de forma positiva para categoria. Mas, se analisados com cuidado, eles poderiam ser muito maiores e com resultados bem mais eficientes. Se existisse uma adequada gestão de recursos humanos (leia: Argollo firma Terno de Ajustamento de Conduta com o MPT), teríamos colaboradores mais satisfeitos e melhor atendendo o associado. Caso houvesse um efetivo planejamento estratégico, poderíamos economizar recursos em apedidos, marketing e outros, concentrando investimentos nas áreas de defesa e afins.

 Nossas propostas

Reavaliação dos serviços, com a continuidade, melhora e ampliação dos que realmente interessam à categoria, através de:

– Austeridade na gestão, com foco em investimentos e controle da qualidade dos serviços: os melhores prestadores disponíveis para atender o médico quando ele necessitar.

– Política de valorização dos funcionários do SIMERS: são eles que atendem o médico em seu dia a dia e o bom exemplo começa na própria entidade.

– Extensão dos serviços do SIMERS à pessoa jurídica do médico associado, especialmente a consultoria e a defesa jurídica.

– Terceirização de serviços especializados e críticos como a defesa jurídica: médicos processados criminalmente não podem ser defendidos por advogados ganhando pouco mais que um estagiário! Nosso associado precisa da melhor defesa.

– Criação de serviço de atendimento e suporte aos médicos vitimados pelas más condições de trabalho e pelo estresse profissional, incluindo o burnout, alcoolismo e abuso de drogas, depressão, entre outras. Essas patologias são altamente incapacitantes e geradoras de preconceito, sendo capazes de destruir a vida profissional do médico.

Diga não ao continuísmo. Vote Chapa 2!

Renovação Médica – Por representação digna, transparência e ética no Simers

%d blogueiros gostam disto: